Categorias
Poema

Uma coisa banal como o reflexo

revejo

um instante

num instante 

num abrir e fechar de olhos 

encontro-me 

e percebo que já não me reconheço 

nesse instante 

abro e fecho os olhos 

incrédula por me ver

em me ver 

em me encontrar 

em instantes 

olho novamente 

observo 

e fecho os olhos para ver melhor

instantaneamente 

percebo que me ignorei 

voltei a ignorar 

e segui ignorando-me 

tantas vezes 

demais

por demais 

ao ponto de já não mais me reconhecer 

quando me vejo

revejo 

ou melhor 

quando abrindo os olhos

fecho 

para ver melhor

nesse instante 

Por Rita Burmester

é o nome artístico de Rita. Sendo que o nome registado é Rita, muitos nomes entretanto, Moreira. Licenciada em teatro, escolheu o nome Rita Burmester para figurar como escritora, dramaturga, atriz e encenadora. Desde então tem vindo a colaborar com diversas companhias, mas foi na ATE que mais desenvolveu o seu trabalho como atriz, uma vez que para além de a ter fundado em parceria, também produziu, fez gestão cultural e dava sempre uma ajuda em todas as funções necessárias. Foi então que nasceu Rita Moreira a produtora, antes já havia colaborado como produtora, mas assinava sempre como Rita Burmester. Para que deixasse de haver dúvidas na altura de atender um telefonema Rita passou a ser Rita Moreira a Produtora e desde lá tem estado em projetos de Cinema, Teatro e Artes Plásticas. Tem um currículo vasto em Serviço Educativo porque acha que a arte tem de estar presente desde a nossa tenra idade. Do Mestrado em Ciências da Comunicação ficaram sobretudo as saudades do estágio na Rádio Nova. Atualmente assina como Rita Burmester Moreira, a maior parte das vezes, mas aqui não. Para esclarecer melhor esta situação é sempre bom marcar um café, porque é o único momento de pausa. Sendo os momentos de pausa tão escassos ainda está em Aveiro a desenvolver um projeto de doutoramento em Estudo Culturais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *